Afip lança unidade de negócios de medicina diagnóstica

A AFIP – Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa lança o Brasil Apoio Medicina Diagnóstica, nova unidade de negócios voltada para atender hospitais, laboratórios e laboratórios de saúde. Dentro do setor de Medicina Diagnóstica, existem laboratórios de apoio, que absorvem parte da demanda de terceirização, seja pela alta complexidade ou por inviabilidade econômica.

“Demos um grande passo e com mais investimentos, poderemos ampliar nossa capacidade de processamento para 20 milhões de exames por mês, para atendimento aos nossos clientes B2B”, afirma Tânia Regina Noquelli, diretora Comercial e Administrativa da AFIP e do Brasil Apoio. A ideia é que, em cinco anos, a unidade de negócios responda por 40% do faturamento da AFIP.

Para garantir a segurança do paciente, a AFIP atua dentro da complexa cadeia de valor no sistema de Saúde: “Inserimos o cliente no centro da tomada de decisão. As ferramentas de qualidade, intrínsecas ao processo, visam garantir o cumprimento das premissas do cuidado, rastreabilidade, eficiência com produtividade e sustentabilidade das instituições” explica Carine Freitas, Gerente Comercial Nacional do Brasil Apoio.

A gestão de qualidade é realizada para as três fases do processo laboratorial: pré-analítica, analítica e pós-analítica. A fase pré-analítica se inicia na solicitação do exame, sucedida pelo preparo adequado para o exame e identificação do paciente, coleta, acondicionamento, transporte e preparação da amostra a ser analisada. A fase analítica propriamente dita é realizada por meio de instrumentos e reagentes no interior do laboratório. A analítica envolve controle interno e externo de qualidade “ensaios de proficiência”, verificação de instrumentos, reagentes e controle dos sistemas e sempre associada à padronização e monitoramento de desempenho dos seus processos. A fase pós-analítica é constituída da emissão e transmissão/comunicação do resultado do exame e interpretação do responsável pela assessoria médica e científica.

Estatísticas internacionais dão conta que 70% dos erros na Medicina Diagnóstica ocorrem na fase pré-analítica. Os mais comuns são falta de orientação sobre o preparo para a realização do exame, coleta inadequada das amostras e transporte e armazenamento de amostras incorretos. Por isso, o atendimento ao cliente é um diferencial fundamental para o sucesso do negócio. “Investimos em melhoria contínua de todos os nossos processos, incluindo treinamento adequado para mitigar intercorrências”, afirma Tânia.

Carine reforça o investimento nas equipes: “Nosso nível de excelência em atendimento é trabalhado diariamente com as equipes, construindo uma cultura organizacional para que todos compreendam a importância do atendimento humanizado e compartilhem verdadeiramente a mesma filosofia, de forma integrada, com praticidade e efetividade do plano de comunicação”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui